Relato - GT Ensino

07/05/2011 21:55

Data: 15/02/11
LOCAL: UERJ (sala da Decania do CEH)
PRESENTES: Charlles (AGB Niterói/FFP-UERJ), Ênio (UFRJ), Ana Angelita (UFRJ), Maria Teresa (Rede Municipal do Rio de Janeiro), Renato Emerson (FFP-UERJ)

Questão: O currículo Mínimo, por si só, não é instrumento de controle. Ele se torna quando está inserido numa engenharia institucional que envolve avaliações centralizadas e atrelamento ao salário.

ENCAMINHAMENTOS
1. Participação da AGB no Fórum em Defesa da Educação Pública (conferir nome), que está sendo articulado pelo Roberto Leher. Entidades como o SEPE, o MST, entre outros, estão apoiando e participando do fórum. Reunião na UERJ no dia 23, auditório 71 (verificar horário)
2. Sugestão de debater o currículo mínimo, e também debater o plano estadual de educação. Como fazer essa discussão? Enio sugere uma mesa redonda. Charlles e Ana falam de um fórum interno, com alguém fazendo uma apresentação sobre cada um dos documentos. Sobre a mesa, foi indicado reunir pessoas de posições institucionais distintas, para dar pronunciado tom político à discussão. Nomes como Alice Casimiro (Ana contacta), Robson Leite (deputado estadual) (Renato contacta), Rejane (Charlles contacta), alguém do Fórum em Defesa da Educação (Ênio contacta), talvez o SEPE, entre outros. Data indicativa, 07/04, na UERJ.
3. Estudo do documento (Ana Angelita e Teresa apresentam), encaminhamentos junto à SEE, montagem da mesa

Próxima Reunião: terça-feira, 01 de março, 18:00 na UERJ